quinta-feira, novembro 09, 2006

Névoa


Lisboa 2006


Névoa

Chega através do dia de névoa alguma coisa do esquecimento,
Vem brandamente com a tarde a oportunidade da perda.
Adormeço sem dormir, ao relento da vida.
É inútil dizer-me que as acções têm consequências.
É inútil eu saber que as acções usam consequências.
É inútil tudo, é inútil tudo, é inútil tudo.

Através do dia de névoa não chega coisa nenhuma.

Tinha agora vontade
De ir esperar ao comboio da Europa o viajante anunciado,
De ir ao cais ver entrar o navio e ter pena de tudo.

Não vem com a tarde oportunidade nenhuma.


Álvaro de Campos

6 comentários:

caminante disse...

Cada fotografía merece ser vista despacio, contemplando. Son instantáneas eternizadas por la magia de la fotografía.
Te felicito. También porque sabes nmostrar el lado bello y positivo de la vida.
Un fortísimo abrazo.

Madalida disse...

A melhor de sempre! tá brutal

Joana Andrade e Sousa Lamas disse...

Já não tenho adjectivos...

ara disse...

emocionado...

Madalena disse...

sem palavras...

akeleketeker disse...

va la, ta giro.